Cefaleia crônica: juntos somos mais fortes

 em Matérias

Existe um ditado africano que diz: “se você quer ir mais rápido, vá sozinho, mas se você quer ir mais longe vá acompanhado”. Esse lema pode ser aplicado para muitas áreas da nossa vida, inclusive quando o assunto é a cefaleia. Para tratar a dor de cabeça, muitas vezes faz-se necessário uma avaliação multidisciplinar.

Alguns casos de cefaleia exigem estratégias de tratamentos adicionais com profissionais que se complementam para que se alcance um melhor resultado no alívio da dor de cabeça crônica. Recomenda-se uma abordagem interdisciplinar quando o corpo do paciente não responde tão bem aos tratamentos medicamentosos ou não medicamentosos solicitados pelo médico.

Participam da equipe interdisciplinar para casos complexos de cefaleia colaboradores de diferentes especialidades da área da saúde como: neurologistas, psicólogos clínicos e comportamentais, enfermeiros especializados em cefaleia, fisiatras, fisioterapeutas e nutricionistas.

 

Veja também:

 

Cada um responsável por sua especialidade e numa comunicação constante com o outro integrante:

Neurologista

O neurologista tem como função diagnosticar o tipo da cefaleia e indicar tratamentos farmacológicos e não farmacológicos mais adequados.

Fisiatra

O fisiatra tem o papel de reconhecer quando as doenças musculoesqueléticas são uma das causadoras das dores de cabeça e, através de exercícios ou medicina de meios físicos, como, por exemplo, calor, frio, água, radiações eletromagnéticas, ultrassons, ondas de choque, estímulos mecânicos (massagem, tração, alongamento), ou orientação de fisioterapia, trazem um alívio ao doente.

Enfermeiro

O enfermeiro, que seja especializado em cefaleia, deve assistir o paciente, observando a melhora do quadro, acompanhando possíveis internações, a eficiência do tratamento e o dia a dia do doente para ser avaliado e informado à equipe.

Psicologia

A psicologia que tem como foco atuar nos problemas em que a cefaleia crônica pode acarretar na vida do enfermo, como, por exemplo, uso excessivo de remédios, mudanças de peso, maiores níveis de estresse e abalos emocionais.

Nutricionistas

Os nutricionistas avaliam e auxiliam numa recomendação da alimentação para evitar alimentos que contribuam com a cefaleia.

 

Além desses profissionais, outros especialistas como, por exemplo, psiquiatras, dentistas e ginecologistas também podem fazer parte do staff.

Como vimos, a soma de forças visando um objetivo comum são extremamente positivas no tratamento da cefaleia crônica. Caso seu médico veja que é necessário, irá sugerir essas ações.

Texto de autoria de: Irina Raicher CRMSP 129272 e Eduardo Lam jornalista registro 29349/RJ.

Compartilhe

Posts Recentes

Deixe uma resposta

dores nas pernasDor Pélvica
WhatsApp chat