Saiba como funciona a cirurgia de varizes

 em Outros

Entenda um pouco sobre esse procedimento simples e eficaz

Dentre as doenças vasculares, as doenças venosas (das veias) são as mais frequentes, sendo as varizes bastante comuns na população, afetando cerca de 20% da população, principalmente as mulheres.  As varizes são veias superficiais dilatadas e tortuosas que perderam a sua função de retorno venoso dos membros inferiores para o coração e se tornaram visíveis e salientes.

Existem algumas possibilidades de tratamento para as varizes. Inicia-se com mudanças no estilo de vida para uma rotina mais saudável que inclua exercícios físicos, perda de peso, outros métodos de anticoncepção sem hormônios. Mas a depender da avaliação do quadro clínico do paciente com o seu histórico de vida, exame físico detalhado e exames laboratoriais e de imagem, o Cirurgião Vascular poderá indicar o tratamento cirúrgico mais adequado.

O tratamento varia de acordo com a avaliação personalizada de cada paciente e seu quadro clínico avaliado pelo médico especialista.

COMO É FEITA A CIRURGIA?

Dentre os tratamentos cirúrgicos existe a cirurgia convencional de varizes que consiste na retirada das mesmas no centro cirúrgico do hospital, com o paciente devidamente monitorado, anestesiado e acompanhado pelo anestesista e pela equipe cirúrgica – o que possibilita um tratamento mais seguro, sem dor e mais efetivo para a retirada das mesmas – e com incisões mínimas que na maioria das vezes não precisam de pontos de fio cirúrgico.

Dependendo das condições avaliadas no pré-operatório não há a obrigatoriedade de retirada das veias safenas, se as mesmas estiverem cumprindo suas funções.

Em relação a retirada das veias safenas além do método cirúrgico tradicional no qual as mesmas são retiradas através de um dispositivo chamado de fleboextrator, existem os métodos que levam ao colabamento (fechamento) das mesmas por meio de um dispositivo que emite um laser na sua extremidade ou através de outro dispositivo que utiliza radiofrequência para esse mesmo fim, mas a retirada das veias colaterais são realizadas pelo mesmo método da cirurgia tradicional. Também existe o método de esclerose das safenas e das suas colaterais com a espuma de polidocanol guiada por ultrassom doppler muito utilizada em clínicas atualmente e muito bem indicado em pacientes idosos com contraindicações para uma cirurgia convencional com anestesia e com a doença varicosa já com graves lesões da pele e subcutâneo como fibrose, manchas e úlceras que dificultam muito essa cirurgia e já não tem como preservar a estética, pois pode provocar mais manchas na pele. Atualmente, essas três variantes do procedimento cirúrgico tradicional não são cobertas pelos convênios médicos.

RECUPERAÇÃO

Por ser uma cirurgia de médio porte, na maioria das vezes, o paciente poderá ter alta no mesmo dia ou na manhã seguinte.

No pós-operatório o paciente irá alternar repouso com caminhadas, deverá ficar afastado do sol por cerca de 2 meses, necessitará usar meias elásticas e poderá ter um retorno breve ao trabalho.

Os convênios médicos apresentam cobertura para a cirurgia convencional das varizes, que na maioria das vezes dispensa pontos (basta um curativo).

Entre em contato com o Cirurgião Vascular do Espaço Sinestesia e agende a sua consulta.

Autoria:

Dr. Simão Raicher CRM-SP 28.553

Compartilhe

Posts Recentes

Deixe uma resposta

WhatsApp chat